Sábado, 01 de outubro de 2016.

Chomsky e as 10 Estratégias de Manipulação Midiática

publicada em 30 de julho de 2010
Chomsky e as 10 Estratégias de Manipulação Midiática

Classificado em Internacional - Imperialismo

O lingüista estadunidense Noam Chomsky elaborou a lista das “10 estratégias de manipulação” através da mídia:

1- A ESTRATÉGIA DA DISTRAÇÃO.

O elemento primordial do controle social é a estratégia da distração que consiste em desviar a atenção do público dos problemas importantes e das mudanças decididas pelas elites políticas e econômicas, mediante a técnica do dilúvio ou inundações de contínuas distrações e de informações insignificantes. A estratégia da distração é igualmente indispensável para impedir ao público de interessar-se pelos conhecimentos essenciais, na área da ciência, da economia, da psicologia, da neurobiologia e da cibernética. “Manter a atenção do público distraída, longe dos verdadeiros problemas sociais, cativada por temas sem importância real. Manter o público ocupado, ocupado, ocupado, sem nenhum tempo para pensar; de volta à granja como os outros animais (citação do texto 'Armas silenciosas para guerras tranqüilas')”.

2- CRIAR PROBLEMAS, DEPOIS OFERECER SOLUÇÕES.

Este método também é chamado “problema-reação-solução”. Cria-se um problema, uma “situação” prevista para causar certa reação no público, a fim de que este seja o mandante das medidas que se deseja fazer aceitar. Por exemplo: deixar que se desenvolva ou se intensifique a violência urbana, ou organizar atentados sangrentos, a fim de que o público seja o mandante de leis de segurança e políticas em prejuízo da liberdade. Ou também: criar uma crise econômica para fazer aceitar como um mal necessário o retrocesso dos direitos sociais e o desmantelamento dos serviços públicos.

3- A ESTRATÉGIA DA GRADAÇÃO.

Para fazer com que se aceite uma medida inaceitável, basta aplicá-la gradativamente, a conta-gotas, por anos consecutivos. É dessa maneira que condições socioeconômicas radicalmente novas (neoliberalismo) foram impostas durante as décadas de 1980 e 1990: Estado mínimo, privatizações, precariedade, flexibilidade, desemprego em massa, salários que já não asseguram ingressos decentes, tantas mudanças que haveriam provocado uma revolução se tivessem sido aplicadas de uma só vez.

4- A ESTRATÉGIA DO DEFERIDO.

Outra maneira de se fazer aceitar uma decisão impopular é a de apresentá-la como sendo “dolorosa e necessária”, obtendo a aceitação pública, no momento, para uma aplicação futura. É mais fácil aceitar um sacrifício futuro do que um sacrifício imediato. Primeiro, porque o esforço não é empregado imediatamente. Em seguida, porque o público, a massa, tem sempre a tendência a esperar ingenuamente que “tudo irá melhorar amanhã” e que o sacrifício exigido poderá ser evitado. Isto dá mais tempo ao público para acostumar-se com a idéia de mudança e de aceitá-la com resignação quando chegue o momento.

5- DIRIGIR-SE AO PÚBLICO COMO CRIANÇAS DE BAIXA IDADE.

A maioria da publicidade dirigida ao grande público utiliza discurso, argumentos, personagens e entonação particularmente infantis, muitas vezes próximos à debilidade, como se o espectador fosse um menino de baixa idade ou um deficiente mental. Quanto mais se intente buscar enganar ao espectador, mais se tende a adotar um tom infantilizante. Por quê? “Se você se dirige a uma pessoa como se ela tivesse a idade de 12 anos ou menos, então, em razão da sugestão, ela tenderá, com certa probabilidade, a uma resposta ou reação também desprovida de um sentido crítico como a de uma pessoa de 12 anos ou menos de idade (ver “Armas silenciosas para guerras tranqüilas”)”.

6- UTILIZAR O ASPECTO EMOCIONAL MUITO MAIS DO QUE A REFLEXÃO.

Fazer uso do aspecto emocional é uma técnica clássica para causar um curto circuito na análise racional, e por fim ao sentido critico dos indivíduos. Além do mais, a utilização do registro emocional permite abrir a porta de acesso ao inconsciente para implantar ou enxertar idéias, desejos, medos e temores, compulsões, ou induzir comportamentos…

7- MANTER O PÚBLICO NA IGNORÂNCIA E NA MEDIOCRIDADE.

Fazer com que o público seja incapaz de compreender as tecnologias e os métodos utilizados para seu controle e sua escravidão. “A qualidade da educação dada às classes sociais inferiores deve ser a mais pobre e medíocre possível, de forma que a distância da ignorância que paira entre as classes inferiores às classes sociais superiores seja e permaneça impossível para o alcance das classes inferiores (ver ‘Armas silenciosas para guerras tranqüilas’)”.

8- ESTIMULAR O PÚBLICO A SER COMPLACENTE NA MEDIOCRIDADE.

Promover ao público a achar que é moda o fato de ser estúpido, vulgar e inculto…

9- REFORÇAR A REVOLTA PELA AUTOCULPABILIDADE.

Fazer o indivíduo acreditar que é somente ele o culpado pela sua própria desgraça, por causa da insuficiência de sua inteligência, de suas capacidades, ou de seus esforços. Assim, ao invés de rebelar-se contra o sistema econômico, o individuo se auto-desvalida e culpa-se, o que gera um estado depressivo do qual um dos seus efeitos é a inibição da sua ação. E, sem ação, não há revolução!

10- CONHECER MELHOR OS INDIVÍDUOS DO QUE ELES MESMOS SE CONHECEM.

No transcorrer dos últimos 50 anos, os avanços acelerados da ciência têm gerado crescente brecha entre os conhecimentos do público e aquelas possuídas e utilizadas pelas elites dominantes. Graças à biologia, à neurobiologia e à psicologia aplicada, o “sistema” tem desfrutado de um conhecimento avançado do ser humano, tanto de forma física como psicologicamente. O sistema tem conseguido conhecer melhor o indivíduo comum do que ele mesmo conhece a si mesmo. Isto significa que, na maioria dos casos, o sistema exerce um controle maior e um grande poder sobre os indivíduos do que os indivíduos a si mesmos.
Versão para impressão Envie para um amigo Deixe seu comentário
Eli Eliette ,por e-mail

Envie esta notícia para seus amigos

Seu nome:
Seu e-mail:
Enviar para:
envie para vários e-mails separando-os com vírgula

Deixe seu comentário sobre esta notícia

Seu nome:
Seu e-mail:
Escreva seu comentário:
0 caracteres utilizados. Máximo 100 caracteres.

Digite o código contido na imagem ao lado:
Caso não consiga ler o texto da imagem, clique aqui.

20 Comentários

12/10/2015 às 18:41
Ernesto Luís Inácio Russieffe escreveu:
Exatamente como está sendo feito no Brasil hoje, pelo PT para a implantação de sua "doutrina" pseudo-comunista esquerdóide de fundo de quintal.
19/07/2015 às 17:35
Felippe escreveu:
Percebo que alguns lideres anticosmoéticos associados a mafias multidimensionais ligadas também a Conscienciologia, inclusive ao Paradireito, utilizam exatamente essas estratégias para impor de forma subliminar e doentia os proprios interesses de forma aparentemente cosmoética, sem que se deem conta
07/06/2015 às 19:11
Juliana Gehlen escreveu:
Vejam o livro 'A manipulação do público" de Edward S. Herman e Noam Chomsky. São Paulo: Futura, 2003
18/02/2015 às 09:32
Ludmylla escreveu:
Nesse link abaixo se tem a prova de que esse texto não é de autoria de Noam Chomsky. Como já dito pelo DELANO. http://www.legrandsoir.info/a-propos-des-dix-strategies-de-manipulation-de-masses-attribue-a-noam-chomsky.html Cuidado com o que se "apenas" transcreve.
01/01/2015 às 18:53
Instituto João Goulart escreveu:
O Instituto João Goulart apenas transcreveu o artigo há quatro anos atrá do site viomundo.com.br Em pesquisa no Google ele figura como autoria de Noam Chomsky em mais de cem buscas na web
31/12/2014 às 17:44
DELANO escreveu:
ESTE TEXTO NÂO È DE AUTORIA E NOAN CHOMSKY, MAS SIM DE UM TAL DE Sylvain Timsit, CUJO PERFIL NÂO ENONTREI EM NENHUM LOCAL DA WEB(PESSOAL LIGADO AO EX_PRESIDENTE JANGO SE ENGANOU)
23/05/2014 às 17:58
Johannes escreveu:
Noam Chomsky um grande estratego. Acredito na sua acção de distracção da esquerda americana para items menos importantes. É pena mas o que há mais por aí.
17/03/2013 às 13:59
Lais escreveu:
O texto original, está neste site : http://www.syti.net/Manipulations.html e existe pelo menos desde 2002. Tem + txt bem didáticos (para preguiça mental de achar os exemplos sozinho): http://www.syti.net/JTContents.html . Mas os trouxas/ espertos, baterão na tecla da Teoria da Conspiração.Sempre.
07/11/2011 às 21:50
Pedro escreveu:
É muita viagem!
15/10/2011 às 10:36
Alberto Contreiras escreveu:
O texto é uma síntese do grande politóligo e linguista Noam Chomski, sim, desenvolvida em toda a sua vastissima obra. São técnicas evidentes para quem é informado. Mas a maioria cai feito rato, seja através das seitas "religiosas", seja pondo todo o foco da mídia na criminalidade, no futebol, etc.
14/08/2011 às 08:35
Louis escreveu:
Não se convence um tolo que acredita na propria tolice.
07/07/2011 às 14:14
*JollyRoger* escreveu:
Este artigo não foi escrito por Noam Chomsky. É um artigo de Sylvain Timsit, dos "nacionalistas autônomos", linha política fascista que se transveste com a estética anarquista. Não se deixem enganar! Chequem melhor as fontes!
23/02/2011 às 06:59
Daillo escreveu:
Sim e verdade, mas não s enganem, só há uma solulão para isso: JESUS.
27/12/2010 às 13:11
Leon escreveu:
A estupidez dos comentários comprova o texto. Começa por um fanático relisioso cuja loucura não vai além da necessidade de muletas para conviver consigo mesmo e seu caráter que se esconde por trás disso. Outro,o "Tito" algum manézinho pago por quem tenta exatamente utilizar estes meios acima citados
22/10/2010 às 19:30
joao Gladstone de Oliveira escreveu:
A respeito:Chomsky as 10 Estratégias; desde épocas remotas;Egito;Roma;colonialismo;e ainda hoje sem entendimento do homem:Seja imperador ou escravo;rei ou vassalo; todos sob mesmos papéis de registros irrevogáveis eternos.Sair do sistema o Nazareno testifica por extranha palavra:RESSURREIÇÃO!
21/10/2010 às 10:47
Tito escreveu:
Exemplos? Fontes? Porque não a bibliografia? lmao.. Idiotas ou preguiçosos? Não vou explicar isto como a uma criança de 12 anos.. Vão googlar e perguntem ao Nim Chimpsky
01/10/2010 às 15:19
Torres escreveu:
Poderiam dar exemplos concretos do tópico 5 e do tópico 6?
16/09/2010 às 09:01
emerson cardoso escreveu:
Poderia colocar algumas fontes? obrigado
08/09/2010 às 23:49
Oswaldo escreveu:
Certeza, qualquer semelhança não é coincidência.
03/08/2010 às 04:20
Adelício Ala escreveu:
Os comunicadores sociais têm a obrigação de fazer este material chegar ao grande público.

Contato

Telefone
(21) 3185-2726
(61) 93094422