Sábado, 16 de dezembro de 2017.
Notícias ››   Imprensa on-line ››  

No Brasil-do golpe, como nos EUA-do-idem: Golpes do 'Judiciário'

publicada em 04 de dezembro de 2017
No Brasil-do golpe, como nos EUA-do-idem:
Golpes do 'Judiciário' 
Barbara Boyd, LaRouchePAC.com

Amigos, é 1º de dezembro, e escrevo porque LaRouchePAC precisa da ajuda de vocês. Dezembro sempre é mês difícil para nós. Nossos apoiadores são pessoas de recursos modestos e todos lutam para dar sobreviver às exigências de fim de ano. Mas temos de escalar na nossa luta contra o golpe em curso, nesse momento, contra o presidente Trump. Por isso pedimos a vocês, aos que nos acompanham por e-mail e Facebook, que contribuam como possam, entre $10-$50 [dólares], ou mais, para nos ajudar a levantar o mínimo indispensável agora, de $60 mil. 

Esse dinheiro será usado para ampliar nossa luta para pôr fim às investigações da Comissão Especial chefiada pelo procurador Robert Mueller e para instituir a investigação e o processo contra os verdadeiros responsáveis por criar e manter ativo esse golpe contra presidente eleito legitimamente nos EUA.

Mais especificamente, estamos num ponto de virada na tentativa completamente inconstitucional para impedir que Trump faça o que prometeu fazer na campanha eleitoral: estabelecer relações decentes com Rússia e China, para pôr fim às nossas guerras perpétuas e começar a cuidar de desenvolver os EUA.

Sobre o cenário Michael Flynn

Sobre o caso Michael Flynn, ver também

– "O golpe do 'estado profundo' contra Flynn (Falando da forma mais clara possível), 14/2/2017, The Saker, The Vineyard of the Saker, no Blog do Alok, trad. btpsilveira

– "As confissões devastadoras do general Flynn: Trump conspirou com Israel (não com Rússia), tentando cumprir promessas de campanha , 1/12/2017, Moon of Alabama (breve, no Blog do Alok)

Em outubro, publicamos e pusemos em circulação um dossiê sobre Robert Mueller, Procurador Especial escalado para derrubar Trump, intitulado "Robert Mueller is an Amoral Legal Assassin, He Will Do His Job if You let Him" [Robert Mueller é um assassino amoral legal. Se vocês permitirem, ele completará o serviço que iniciou].

Hoje, Michael Flynn declarou-se culpado, no cenário que é, exatamente, o mesmo que já prevíamos naquele dossiê. Os asseclas de Mueller passaram meses vasculhando todos os mínimos detalhes da vida de Flynn, reunindo fragmentos que pudessem ser rearranjados de modo a configurar algum crime; ameaçaram-no de acusar e condenar Flynn e seu filho, em crime de traição (como "agentes estrangeiros") e em outros crimes correlatos, sempre com ampla divulgação pela mídia de notícias. Flynn e o filho foram ameaçados de serem condenados a décadas de prisão. Seriam completamente arruinados, dado o regime vigente nos EUA para custas de advogados de defesa. 

A declaração de culpa de Flynn inclui como pressuposto que ele deve 'entregar' outros, mais especificamente o presidente Trump, ainda que tenha de mentir. O objetivo de Mueller é, desde o início, acusar o presidente Trump de crime de obstrução da justiça; Mueller baseia-se no falso testemunho de seu comparsa James Comey, que diz que Trump teria ordenado a ele, quando ainda diretor do FBI que demitisse Flynn.

Flynn se declarará [declarou-se ontem] culpado de ter mentido ao FBI sobre conversas que teve com o ex-embaixador da Rússia Kislyak sobre sanções impostas pelo presidente Obama relacionadas à ação de [inexistentes] hackers que teriam 'interferido' nas eleições nos EUA.

Como demonstramos no dossiê citado acima, essa ação de hacking por hackers russos jamais existiu. Na essência, toda a 'questão' começa com as críticas que o governo Trump fez ao presidente Obama e ao establishment de política exterior de Washington D.C. sobre erros no encaminhamento das relações com a Rússia, quando Obama ainda estava na presidência. Parece que agora, nos EUA, virou crime federal gravíssimo um governo eleito e em fase de transição discutir relações diplomáticas com a outra grande potência nuclear mundial, mesmo que a lei que rege tudo isso – a Lei Logan [ing. Logan Act], de 1799, jamais seja citada e seja considerada inconstitucional por muitos especialistas.

Só conseguiremos derrotar o golpe se uma população bem informada, focada e determinada exigir (i) o fim de toda a ação golpista e (ii) que as autoridades afinal resolvam acusar e julgar os verdadeiros responsáveis pelos atos contra a Constituição, e que levaram ao golpe em curso – Obama, Clinton, a equipe de inteligência de Obama. 

Os deputados e senadores que apoiam o golpe devem ser obrigados a defender a Constituição. Ou devem saber, desde já, que enfrentarão fracasso garantido nas urnas. 

É preciso que nosso dossiê – sobre o Procurador Especial Robert Mueller, a direção britânica do golpe e os crimes cometidos contra o presidente eleito dos EUA – seja impresso e circule por todos os cantos dos EUA. Não podemos nos deixar paralisar agora e precisamos da ajuda de todos para continuar.

Obrigada mais uma vez pelo apoio de vocês, que nunca nos faltou. Por favor, faça sua doação hoje e distribua esse apelo pelas suas redes e contatos, para que alcancemos nosso objetivo o mais rápido que seja humanamente possível.

Barbara Boyd, LaRouchePAC.com
Versão para impressão Envie para um amigo Deixe seu comentário
Barbara Boyd, LaRouchePAC.com

Envie esta notícia para seus amigos

Seu nome:
Seu e-mail:
Enviar para:
envie para vários e-mails separando-os com vírgula

Deixe seu comentário sobre esta notícia

Seu nome:
Seu e-mail:
Escreva seu comentário:
0 caracteres utilizados. Máximo 100 caracteres.

Digite o código contido na imagem ao lado:
Caso não consiga ler o texto da imagem, clique aqui.

Comentários

Nenhum comentário ainda foi registrado.
Seja o primeiro a comentar! Clique aqui ››

Contato

Telefone
(61) 35418388
(61) 93094422