Segunda-feira, 23 de outubro de 2017.
Notícias ››   Imprensa on-line ››  

Lula lidera pesquisa e Moro é o agente da direita para derrotá-lo politicamente e sabotá-lo...

publicada em 20 de abril de 2017
.Lula lidera pesquisa e Moro é o agente da direita para derrotá-lo politicamente e sabotá-lo eleitoralmente — Cunha vem aí, e agora juiz?
DAVIS SENA FILHO


Ricardo Stuckert/ Instituto Lula

O juiz de província e de primeira instância, Sérgio Não Vem Ao Caso Moro, do PSDB do Paraná e da 13ª Vara Federal de Curitiba, tem um senso de oportunismo muito desenvolvido, pois chega a ser ímpar. Mais do que isto. Além de ser oportunista como o são os felinos predadores, Moro é também calculista. Aliás, um exímio calculista, de tal forma que a Engenharia, a Física e a Arquitetura não sabem o profissional que perderam para a política

O magistrado é mais político do que juiz, sem sombra de dúvidas. Sérgio Moro faz o possível e o impossível para que Lula não volte ao poder nos braços do povo, porque sabedor de que o ex-mandatário trabalhista venceria as eleições ainda no primeiro turno, fato este que está a deixar desesperado o consórcio de direita, que tomou de assalto o poder central, igual fazem os bandidos que atormentam o País e que estão a cometer crimes nas ruas.

Trata-se, na verdade, de um consórcio formado por inúmeros grupos conservadores que esperavam, em 2018, permanecer no poder preferencialmente por intermédio de eleições indiretas, sendo que por meio de eleições diretas mediante a ausência de Lula da corrida presidencial. A questão principal é esta: como impedir que o Lula seja o candidato popular e das esquerdas, que estão a vivenciar uma crise existencial de conotação ímpar.

Sérgio Moro tem essa compreensão e como está à frente, como um verdadeiro ponta de lança dos interesses dos golpistas cucarachas de terceiro mundo, o juiz de província, que pensa ser o Brasil a casa da mãe Joana, resolve, de forma arbitrária e autoritária, fazer com que o Lula esteja presente à Vara onde o Moro trabalha, em prol do sistema que resolveu acabar com a democracia no Brasil, de maneira que o ex-presidente, líder inconteste nas pesquisas eleitorais, participe de 87 oitivas de 87 testemunhas pró-Lula, além das 102 que já foram ouvidas, inclusive as 23 indicadas pelo juiz, que, para sua "surpresa", não conseguiu que qualquer um dos depoentes acusasse Lula de ter cometido malfeitos, falcatruas, roubalheiras ou o que o valha.

É terrível, para parte populosa e importante da Nação, ver essa gente usurpadora e traiçoeira no poder por ter derrubado a presidente constitucional e legítima, Dilma Rousseff. É terrível verificar que esses golpistas rasgaram 54,5 milhões de votos e agora, sem autoridade moral e eleitoral, desmontam, a seus bel-prazeres, o Estado Nacional e a vender a toque de caixa o patrimônio público.

Os golpistas lutam para acabar com os direitos civis, a exemplo dos direitos previdenciários e trabalhistas, extinguir os programas sociais de inclusão social, destroçar a economia nacional, além de pulverizar setores importantes como os do petróleo e da indústria naval, bem como suspender a política diplomática soberana, autônoma e independente do Brasil, que tinha por finalidade garantir que o País não ficasse à mercê dos ditames dos Estados Unidos e de seus interesses. Com tudo isso que aconteceu, deve ser terrível e desesperador também para a direita perceber que o ex-presidente Lula é disparado o candidato preferido do povo brasileiro.

Esta dura realidade deve causar profundo incômodo aos provincianos e medíocres golpistas da Banânia, que é a republiqueta criada pela casa grande e pelos coxinhas paneleiros de barrigas cheias que vão as ruas de forma tresloucada e celerada para defender princípios e interesses de uma burguesia carcomida pela corrupção, porque inerente ao seu modo de vida secular e, impiedosamente, anacrônico, como se fosse carma.

A pesquisa do Instituto Vox Populi e divulgada ontem pela CUT é um sintoma inequívoco de que quanto mais o governo golpista e corrupto de *mi-shell temer retira direitos e destrói a economia do País propositalmente, mais a população percebe que o Governo Lula foi a melhor administração em termos de resultados econômicos e sociais desde os tempos de Getúlio Vargas, o Pai da industrialização do Brasil. Lula representa, no imaginário popular, desenvolvimento, progresso e bem-estar social, além de respeito pela democracia e cidadania.

Ressalto que Lula, além de sair do poder com 87% de aprovação popular, a superar o líder Nelson Mandela, ele também fez os pobres, os desvalidos, as categorias e classes sociais mais simples subirem a rampa do Palácio do Planalto. Não há, portanto, quem não perceba a maneira de como o Lula governou e tratou a sociedade de modo geral, pois muito diferente da conduta e da postura do golpista que usurpou o poder e demonstra, de forma clara e transparente, que está a realizar um governo antipopular, antinacional e antidemocrático.

Não restam dúvidas que a pesquisa ou as pesquisas em que Lula sempre está muito à frente deve incomodar profundamente o juiz Sérgio Moro e seus asseclas do MPF e da PF de Curitiba, além de causar profundo ódio, rancor e sentimento de vingança à casa grande dona dos oligopólios midiáticos, das federações industriais, dos grandes lojistas, dos banqueiros, da "elite" do serviço público, principalmente aquela que é considerada "carreira típica de Estado", bem como deve causar imensa preocupação aos golpistas que se aboletaram no poder central, a exemplo dos políticos do PSDB, PMDB, DEM e PPS, que irão, é o que parece, começar a pagar pelos seus inúmeros crimes, conforme o relatório divulgado pelo ministro do STF, Edson Fachin.

Realmente, Moro terá de agora em diante, se não conseguir prender o presidente Lula ou torná-lo réu em segunda instância, pelo menos paralisar seus movimentos políticos e partidários. E nada como, por exemplo, fazê-lo estar presente em 87 oitivas, conduta do juiz que, inquestionavelmente, demonstra sua ira, seus atos persecutórios, sua arrogância e prepotência, assim como, injustificadamente, trata o ex-presidente Lula como empregado que deve obedecer os desejos e as ordens do patrão, porque, não se iluda, Moro se considera ator importante do mundo patriarcal e como patrão tratará o Lula, que ousou sair de Pernambuco em um pau de arara para ser presidente da República, como subordinado e servil, coisas que o ex-mandatário nunca foi e nunca será.

O arrivismo de Moro o eleva aos píncaros da discórdia, da insensatez, da imprudência e o transforma em um pequeno mussolini narcisista e encolerizado com a ascensão político-eleitoral de Lula, mesmo após o líder trabalhista ter sido massacrado pela mídia cúmplice do juiz do Paraná e de todos aqueles que participam do linchamento público do maior político que este País já teve ao lado do grande estadista gaúcho Getúlio Vargas.

A verdade é que Lula vence as eleições no primeiro turno em todos os cenários pesquisados, no decorrer dos dias 6 a 10 de abril. Lula alcançou 45% dos votos válidos contra 32% dos seus adversários juntos. Trata-se de um fenômeno político-eleitoral, bem como de um animal político de grandeza, pois se materializa em força da natureza difícil de ser superada, principalmente pela direita, sem dúvida, porque os conservadores e golpistas não têm nada a apresentar ao povo e muito menos tem o que oferecer, ainda mais depois de um governo feroz e cruel com os trabalhadores, como o é o caso de mi-shell temer.

Enquanto isso, os políticos que sempre tiveram o apoio e a blindagem das mídias burguesas e patrimonialistas, a exemplo de Aécio Neves, Jair Bolsonaro, Marina Silva, Geraldo Alckmin, João Doria e até mesmo o Ciro Gomes, sendo que este último não é parte do golpe bananeiro e não conta com o apoio e a simpatia das barões midiáticos, não conseguem, todos juntos, superar o Lula nos índices eleitorais realizados pela pesquisa do Vox Populis. Além de vencer as eleições no primeiro turno, Lula também venceria as eleições, se porventura fora necessário, no segundo turno.

O consórcio golpista e de direita entendeu o recado e, consequentemente, está a preparar, por intermédio do juiz Moro, que tem a cooperação da imprensa seletiva e que defende até o fracassado *temer com unhas e dentes, a "cama" de Lula, uma cama de gato, que tem por finalidade destruí-lo violentamente pela imprensa de mercado, que após saber das pesquisas muito favoráveis a Lula esqueceu, propositalmente, praticamente de todos os tucanos envolvidos até o pescoço com a lama da corrupção e que frequentam todas as listas de delações da Lava Jato.

A campanha insidiosa e o linchamento moral de Lula são diuturnos e sistemáticos, não param nunca e a consequência é um embate político sanguinário, cujo propósito é evitar de todas as maneiras que Lula mantenha seus direitos civis e políticos intactos, de forma que ele não possa se candidatar e ter o direito de se expressar e de ir e vir tolhidos pelos operadores partidarizados da Lava Jato.

E é exatamente isto que os agentes de Estado, como o juiz Moro e seus assemelhados da Lava Jato do powerpoint mentiroso, covarde e leviano não querem que aconteça. Lula tem de ser derrotado e imobilizado, para que este processo draconiano aconteça e o impeça, definitivamente, de fazer política pelo Brasil, assim como até mesmo não ter o direito de combater a quadrilha que, tal qual aos bandidos nas ruas, tomou a Presidência da República de assalto, com a aquiescência vergonhosa e desditosa do Judiciário.

Para o presidente da CUT, Vagner Freitas, o Vox Populi demonstrou que "quanto mais os brasileiros conhecem o presidente ilegítimo e golpista Michel Temer, mais avaliam seu desempenho como ruim e péssimo (65%) e mais sentem saudade do ex-presidente Lula". A resumir: Quanto mais o povo conhece o mi-shell *temer, melhor avaliado se torna o Lula.

Existe o reconhecimento por parte dos trabalhadores, dos segmentos pobres e muito pobres da sociedade, bem como de certo contingente de classe média que traduzem o que o líder trabalhista e conciliador representa, e ele representa a aliança e o contrato social entre as classes dominantes e donas dos meios de produção com o Estado e o corpo da sociedade dividida e subdivida em inúmeras classes sociais, sendo que a maioria da população é assalariada, tanto no setor público quanto no privado, além do enorme contingente populacional que ganha a vida por meio do trabalho informal.

Entretanto, o juiz Moro tem pressa, afinal o ministro Edson Fachin liberou os nomes de todos os implicados nas listas, nas delações e nas gravações realizadas pelos executivos e donos da Odebrecht, sendo que ainda vem mais rebarba por aí, porque existem as delações de outras empreiteiras, que estão ainda em segredo de Justiça. Porém, Moro não pode parar, pois não tem mais a vantagem de poder contar com os vazamentos seletivos, direcionados e partidários, que têm o propósito fundamental de impedir que Lula se candidate a presidente e que o PT volte a se fortalecer como partido político.

Por isto, que o juiz de alma tucana e que há muito tempo deveria estar a responder aos tribunais superiores por abuso de poder e até por crimes graves como a divulgação de áudio entre a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula, resolveu exigir que Lula esteja presente nas oitivas e audiências de 87 depoentes, que serão testemunhas do líder brasileiro, o que é assombroso, porque mesmo após 102 depoentes arrolados pela acusação e defesa não acusarem Lula de ter cometido quaisquer crimes, o juiz Moro, do alto de seu autoritarismo partidário e seletivo, resolve fazer com o Lula e sua defesa o que não faz com os procuradores e a acusação em geral.

O advogado de Lula, Cristiano Zanin Martins disse, ao peticionar recurso contra a ação nefasta mas calculista e oportunista do juiz Moro: "(...) Não tem amparo legal. Demonstramos que o processo penal deve seguir o princípio da legalidade estrita, de modo que o juiz não pode inovar ou criar situações ou penas que não estejam expressamente previstas na lei. Mostramos, ainda, que mais uma vez aquele Juízo afrontou o Pacto Internacional de Direitos Civis e Políticos acolhido pela ONU (Decreto nº 592/1992 - artigo 14, 3, "e"), que assegura ao jurisdicionado o direito "De interrogar ou fazer interrogar as testemunhas de acusação e de obter o comparecimento e o interrogatório das testemunhas de defesa nas mesmas condições de que dispõem as de acusação".

A exigência do comparecimento de Lula às audiências para ouvir as testemunhas arroladas por seus advogados, de acordo com Cristiano Zanin, resulta em tratamento diferenciado em relação às testemunhas de acusação. Ponto. Sempre dois pesos e duas medidas por parte deste juiz de província agrícola, que não equilibram a balança do bom senso, da ponderação, do que é justo, constitucional e republicano.

Agora mudemos o foco, pois vem a pá de cal nas pretensões políticas de Moro quanto ao triplex do Guarujá, que nunca foi de Lula, pois não deixaram dúvidas quanto a este assunto inúmeras testemunhas já ouvidas pelo juiz e político do PSDB do Paraná. Ele, o Moro, ouve, mas não adianta, porque de ouvidos moucos e regido por suas conveniências políticas, partidárias e até pessoais, pois a perseguição a Lula por parte do magistrado denota que o juiz se sente desrespeitado em suas decisões, mesmo as injustas e anticonstitucionais.

Acontece que agora há pouco, para o desgosto do Moro e de sua turma cinematográfica à moda "Intocáveis", a juíza Maria Priscilla Veiga Oliveira, da 4ª Vara Criminal de São Paulo, independente das questões de Lula na 13ª Vara de Curitiba, consolidou o que as mais de 100 testemunhas favoráveis e contrárias a Lula sempre disseram: o apartamento do Guarujá não pertence e nunca pertenceu a Lula.

A ação do MP paulista por intermédio dos promotores Cássio Conserino, José Carlos Blat e Fernando Henrique de Moraes Araújo, famosos por suas trapalhadas e equívocos, foi arquivada por decisão da juíza, que considerou o caso de "corrupção" que envolveu a Bancoop e a OAS, no que diz respeito ao triplex que nunca pertenceu a Lula, como "alegações vagas", além de ter constatado, segundo a magistrada, inúmeros erros no que concerne às formulações da denúncia.

A juíza Maria Priscilla, além de arquivar as acusações absurdas e desprovidas de materialidade e de provas cabais, absolveu todos os réus, dentre eles o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, e um dos sócios da construtora OAS, José Aldemário Pinheiro. Lula, que também constava nesse processo, certamente seria absolvido. Contudo, o ex-mandatário trabalhista teve a ação contra ele transferida para a Vara do Moro, que na verdade age e atua como um partido político de direita e que combate ferozmente o PT e as suas lideranças. A verdade é que o Moro, sabedor que a direita poderá perder as eleições de 2018, vale-se de Lawfare (perseguição jurídica) para derrotar o Lula, o PT e seus aliados.

Por sua vez, a decisão da juíza paulista fará com que as intenções políticas de Moro, no que é relativo a condenar o ex-presidente Lula por causa do triplex que nunca foi dele, diga-se de passagem mais uma vez, porque a verdade não pode jamais ceder espaço à mentira, faz com que se torne ainda mais difícil ao juiz punir Lula por causa do triplex, que nunca foi do ex-presidente. Ponto. Entretanto, Moro não se preocupa com isso, apesar de ter de correr contra o tempo para que Lula seja condenado em primeira instância e, posteriormente, em segunda instância. Moro corre contra o relógio eleitoral, que agora não lhe é a favor.

O juiz agora aposta todas suas fichas em Leo Pinheiro, ex-sócio da OAS. A intenção é negociar rapidamente sua saída da cadeia e, quiçá, acusar Lula de ser o dono do triplex, pois até agora não foi possível provar que o ex-presidente é o dono do apartamento do Guarujá. Tudo isto após 102 pessoas negarem ou não saberem se o Lula é dono do imóvel. É o fim da picada o que se transformou a Lava Jato, e ninguém faz nada para acabar com essa bagunça organizada, calculada e efetivada como estratégia de combate político por parte de servidor público pago pelo contribuinte e que tomou, indevidamente, o protagonismo da luta político-partidária. Surreal. Só em país de golpistas.

Moro está a acelerar mais do que o Ayrton Senna depois que o Fachin acabou com a mamata e a molecagem dos vazamentos seletivos e direcionados. E por quê? Porque o magistrado das Araucárias necessita urgentemente atender os propósitos e os interesses da direita brasileira e estrangeira, bem com viabilizar o impedimento de Lula, o político que lidera todas as pesquisas eleitorais, a alcançar, volto a ressaltar, índices maiores do que todos os outros candidatos juntos, exemplificados em Aécio Neves, Jair Bolsonaro, João Doria, Marina Silva, Geraldo Alckmin e outros menos cotados, além de Ciro Gomes, político não envolvido até agora com malfeitos e que não está a ser incluído em listas de empreiteiras.

O desespero é grande e o sinal de alerta já foi dado pelas mídias golpistas e de interesses imperialistas. Os possíveis candidatos citados acima não têm lastro, no momento, para vencer o Lula e sabem disso. Compreendem a situação e apostam no impedimento de Luiz Inácio Lula da Silva por meio de prisão ou simplesmente transformá-lo em réu, o que conta muito para que o processo de desconstrução do maior político da América Latina seja consolidado.

Além disso, não se deve esquecer, todas as acusações imputadas a Lula, como as do triplex, sítio de Atibaia, containers de armazenagem de material enquanto Lula foi presidente, terreno para o Instituto Lula, dentre outras acusações desprovidas de materialidade, como as palestras proferidas pelo ex-mandatário, não procedem, porque sem provas, sendo que Lula, por intermédio de seus advogados sempre apresentou recibos e declarações sobre impostos e taxas.

E não se resume apenas a isto. Lula teve seus sigilos bancários, telefônicos e seus computadores e dos seus assessores e auxiliares foram confiscados pela Polícia Federal, a mando do juiz Moro e dos procuradores do powerpoint leviano e mentiroso, que teve apenas por finalidade jogar o nome de Lula na sarjeta e, com efeito, causar comoção popular, como o fez o juiz Sérgio Moro ao divulgar criminosamente o áudio entre o Lula e a Dilma, que impediu a posse de Lula como chefe da Casa Civil para restabelecer a base do governo, assim como ocasionou que um bando de coxinhas tresloucados e midiotizados fossem para o Palácio do Planalto, sendo que alguns celerados tentaram invadi-lo.

Outra coisa que não se pode esquecer, e alguns blogueiros e donos de sites de esquerda estão imprudentemente a fazer, é se mostrar exageradamente "decepcionados" com o Lula, por ele ter se relacionado com empresários, a exemplo do Emílio Odebrecht, que por sinal afirmou que a imprensa de mercado dominada por meia dúzia de famílias sempre soube da roubalheira e da corrupção e se calou durante 30 anos. Lula em toda sua vida conversou com todo mundo e, como foi um presidente empreendedor, sempre conversou com os ricos (produção) e os pobres (consumidores), tanto é verdade que exemplifico os catadores de latas que subiram a rampa do Palácio do Planalto para serem recebidos por Lula, que incluiu o pobre no Orçamento da União e enfureceu a casa grande. E este é apenas um exemplo.

É inaceitável, para mim, que Lula passe a ser tratado por alguns jornalistas de esquerda e que estão, como eu, há anos a enfrentar essa luta duríssima, desigual e desgastante contra o status quo, para depois ficar com melindres, com suscetibilidades exageradas e caras e bocas ridículas, como "meninas" e "meninos" dengosos, pirracentos, malcriados e cheios de mania. Só falta se jogar no chão, a bater com os braços e as pernas como bebê chorão. Não dá! Lula não cometeu crimes. Ponto.

Ele era presidente da República e antes foi sindicalista e fundador da CUT. Sempre conversou com o empresariado desde jovem. Lula era presidente. Um mandatário que tinha e tem programa de governo e projeto de País, ao contrário da direita que tomou o poder central por meio de um golpe digno das bananas, do atraso e do retrocesso. Lula não tem culpa se o "programa" da direita se resume a destruir a indústria e o comércio e a vender o Brasil. Lula não tem culpa se a direita é colonizada e subserviente à gringada e que sempre se recusou a pensar o País. Nunca o pensou, pois simplesmente pária e antipatriótica.

Lula não cometeu crimes, e sempre conversou com todo mundo por ter um caráter moral e político conciliador desde os tempos de sindicalista, além de se contrapor dentro do Partido dos Trabalhadores aos grupos revolucionários, pelos quais eu sempre tive simpatia, além de apoiá-los quando seus candidatos disputavam eleições, a partir de 1982, quando aconteceram as primeiras eleições realmente diretas para governador, sendo que o trabalhista Leonel Brizola foi eleito no Rio de Janeiro após ter ficado 15 anos no exílio.

Eu votava nos candidatos petistas vinculados aos grupos revolucionários. Sempre votarei, diga-se de passagem, em candidatos de esquerda. Lula é de esquerda, mas moderado. O político trabalhista é um animal político sem precedentes no Brasil, pois somente comparável a Brizola e a Getúlio. Se Lula derrotar o fascismo com o apoio popular, marcará, indelevelmente, as páginas da história como o maior político brasileiro de todos os tempos.

Contudo, e para finalizar, a questão é agora saber se o consórcio de direita, agora capitaneado pelas mídias golpistas, pelos operadores da Lava Jato e pelos chefes de corporações como o MPF e a PF, a ter o STF a dar a palavra final se o líder das pesquisas, que é o Lula, poderá disputar as eleições ou simplesmente essa gente vai dar uma banana para o povo e, tal qual ao golpe terceiro-mundista, fechar o caixão da democracia, da cidadania e do Estado Democrático de Direito.

A verdade é que 2018 vem aí e a direita quer o Lula inelegível, porque não quer novamente ficar sem mandar no poder e deixar de controlar os orçamentos e determinar as políticas públicas em todos os setores e segmentos de atividade humana. Do contrário, Lula será eleito e o juiz Moro entrará para a história como o agente da direita que se partidarizou para derrotar politicamente o líder trabalhista, sabotá-lo eleitoralmente e moralmente para manter a hegemonia da direita e preservar o golpe de estado efetivado em 2016 pela casa grande de índole e espírito escravocrata.

Segundo o Vox Populi, 68% da população considera que a Lava Jato errou feio ao acusar o Lula sem provas. Além disso, o juiz Sérgio Moro tem um grande problema para resolver: os procuradores pediram a prisão da mulher do golpista Eduardo Cunha, que foi condenado a 15 anos de prisão. Como o Moro irá proceder? Politicamente? Seria um escândalo. Então, como? Afinal, a caixa de Pandora do golpe poderá ser aberta, porque o Cunha não aceitará passivamente ver sua mulher presa sem retaliar, até porque sua filha poderá ser a próxima a parar na cadeia.

E agora, Moro & Companhia, como fazer para que o Cunha não exploda e o usurpador *mi-shell temer e seu governo pária, golpista e corrupto não caia de uma vez por ser, irremediavelmente, podre? Com a resposta, o próprio Moro ou as Organizações(?) Globo, a mãe do golpe de terceiro mundo, mas violento, e que adora blindar os crimes dos tucanos do PSDB, do DEM, do PPS, além de proteger e defender o governo predatório, irresponsável e entreguista de *temer/PSDB. O Cunha vem aí, e agora juiz Moro? Dia 3 de maio, Lula se encontrará com o Sérgio Moro. É isso aí.
Versão para impressão Envie para um amigo Deixe seu comentário
247

Envie esta notícia para seus amigos

Seu nome:
Seu e-mail:
Enviar para:
envie para vários e-mails separando-os com vírgula

Deixe seu comentário sobre esta notícia

Seu nome:
Seu e-mail:
Escreva seu comentário:
0 caracteres utilizados. Máximo 100 caracteres.

Digite o código contido na imagem ao lado:
Caso não consiga ler o texto da imagem, clique aqui.

Comentários

Nenhum comentário ainda foi registrado.
Seja o primeiro a comentar! Clique aqui ››

Contato

Telefone
(61) 35418388
(61) 93094422